Saiba de que maneira o PIX vai afetar o seu negócio

Foto: Reprodução

O PIX vem como um método de pagamentos criado pelo Banco Central, lançado para todo o país em novembro de 2020. Embora concorra diretamente com outras transações como a TED (Transferência Eletrônica Disponível) e com o DOC (Documento de Ordem de Crédito), ele apresenta diversas vantagens. O grande diferencial é a proposta de pagamentos instantâneos. Em outras palavras, a transação demora menos de dez segundos para chegar na conta do favorecido.

Vantagens

Como sinalizado acima, a principal vantagem desse novo meio de pagamento é que as transações são instantâneas.

Além disso, diferente dos outros meios de transferência, o PIX não é cobrado para pessoas físicas. Essa é uma grande vantagem, tendo em vista que uma transferência em TED ou DOC pode pesar muito no bolso de quem usa o serviço. As transferências podem ser feitas 24 horas por dia sem custo ou limite algum.

Entretanto, sabemos que haverá uma pequena taxa para as pessoas jurídicas que aderirem a esse tipo de serviço. Embora sem precificação específica, o que podemos dizer é que o valor deve ser pequeno, e muito mais barato do que os tradicionais TED ou DOC.

Uma vantagem para as empresas é que com esse sistema, vão economizar com os Merchant Discount Rate, ou seja, a taxa cobrada pelas máquinas de cartão em cada compra. “Uma consequência dessa novidade é que ela deve afetar os preços de toda a cadeia financeira. O impacto será no preço das maquininhas de cartão, tarifas cobradas etc”, revela João Espósito, CEO da Express CTB.

Impacto em sua empresa

O maior impacto que haverá em relação ao PIX será nas taxas cobradas. Elas serão menores, porque além da competição entre os bancos para terem as chaves dos clientes, o Banco Central não visa lucro, a princípio. Os valores cobrados pelas transações são de R$0,01 a cada 10 transações, diferente do TED onde é cobrado cerca de R$0,07 a cada quantia transferida.

Além disso, a evasão e o abandono dos carrinhos nos e-commerces devem diminuir. Uma pesquisa do Baymard mostrou os motivos pelos quais três em cada quatro carrinhos são abandonados em site de compras. Segundo a pesquisa, 34% desistem porque não querem se cadastrar no site, outros 26% dizem que abandonam a compra pelo processo lento de finalização.

Toda essa desistência apenas no comércio de eletrônicos, causa uma perda de U$ 2 a 4 trilhões por ano, o que deve acabar com o surgimento do PIX. Já que será possível pagar online, sem cartão de crédito ou débito e não será necessário esperar os três dias úteis dos boletos. “O empreendedor precisa ficar atento. As empresas que mais irão lucrar são as que se atualizam rapidamente e ensinam seus clientes sobre o novo método de pagamento”, explica Espósito.

Em suma, o PIX é uma solução simples, barata, instantânea e segura para as transações financeiras. Ele deve impactar muito nas empresas, principalmente nos e-commerces.  Essa é uma evolução muito esperada, já que quebra o monopólio financeiro e com isso, o programa evolui.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post

PIB japonês cresce 3% no 4º trimestre ante o período anterior

Next Post

Prefeitura do Rio suspende vacinação contra covid-19

Related Posts