Procrastinação

Deixar para amanhã o que não quero fazer hoje. Com certeza essa seria a versão procrastinadora do ditado popular “Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje”.


A frase de Santo Agostinho “Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora” traz a reflexão que procrastinar é algo natural do ser humano, não um fenômeno moderno.

A procrastinação está relacionada a um atraso desnecessário e prejudicial de uma tarefa ou tomada de decisão que causa desconforto psicológico e emoções negativas, segundo artigo científico da revista Brasileira de Terapias cognitivas A procrastinação é uma resposta inconsciente do nosso cérebro, que é programado para economizar energia. Grande parte das tarefas que realizamos por dia são “automáticas”, usam um sistema com informações já registradas no nosso cérebro e que não precisa de esforço para fazer.

Deixar para depois, adiar, tanto o início como a conclusão de uma tarefa que seja desafiadora, desagradável e causa medo de fracassar são comuns na procrastinação.

Onde se procrastina? Nos estudos, trabalho, relacionamentos interpessoais, cuidados com a saúde e outros mais compromissos da vida diária.


Desorganização, administrar mal o tempo, não gostar da tarefa, distrações e indecisão podem favorecer a procrastinação.

Não é muito conhecido mas a procrastinação tem uma face positiva também, quando o procrastinador se movimenta pela proximidade de um prazo a cumprir por exemplo, ou quando a pessoa tem uma pressão externa e essa pressão gera nele uma certa motivação para completar a tarefa ou ainda por sentir satisfação executando dentro do tempo e tendo bons resultados assim.

Vale a pena avaliar o quanto a procrastinação tem afetado a sua vida, seu bem estar e até seus resultados profissionais.

5 Dicas para vencer a Procrastinação



1 – Identifique quando: Qual o tipo de tarefa você costuma procrastinar? As de grande responsabilidade? As mais complexas? Procure dividir em pequenas partes e colocar na sua agenda as “mini” tarefas. Por exemplo para cuidar da saúde é mais fácil e mais eficaz mudar pequenos hábitos alimentares e de autocuidado do que fazer aquela dieta super restritiva.

2 – Organize a agenda: Seja anotar seus compromissos em um bloco de papel, uma agenda tradicional ou um aplicativo no celular. O importante é escrever o que vai fazer e quanto tempo vai gastar para essas atividades, por que não adianta colocar na agenda um almoço de 30 minutos, se vai ter que cozinhar, resolver coisas do banco nesse período, por exemplo.

3 – Não consuma conteúdo demais: Nosso cérebro tem limite, não dá para querer ser super produtivo, criativo e focado, se você enche sua cabeça com excesso de informações descartáveis. Selecione o tempo e qualidade do que vê nas redes sociais e na televisão já vai ajudar.

4 – Valorize seu descanso: Quando se está cansado, com sono desregulado e um nível alto de estresse fica mais difícil de colocar sua energia em coisas desafiadoras, em tarefas que você não se sente confiante para realizar, ou que te geram insegurança dos resultados. Se permita ter ao menos um dia inteiro de descanso na semana.

5 – Perfeccionismo: Ser muito exigente com tudo, com excesso de auto crítica e consequentemente a ansiedade são padrões que favorecem a procrastinação, segundo pesquisa científica de 2018, da Rev. Brasileira de Psicoterapia. Então procure ser mais leve em sua auto cobrança, usando mais palavras e pensamentos para se estimular e valorizar seus feitos ao invés de focar na mínima parte da sua tarefa que não o agradou.

Total
2
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post

Ana Paula Araújo ensina como construir autonomia na internet por meio do marketing digital

Next Post

Bolsonaro inaugura etapa de centro de convenções em Manaus

Related Posts