Com objetivo de promover inclusão social de deficientes auditivos, startup irá oferecer edição de tradução em libras em vídeos treinamento

A QRtraining é voltada ao gerenciamento de conhecimento industrial. - Foto: Divulgação
A QRtraining é voltada ao gerenciamento de conhecimento industrial. – Foto: Divulgação

No Brasil, há duas leis (8.213/91 e 13.146/2015) que estabelecem cotas para contatação de pessoas com deficiência. Essas leis exigem que empresas com 100 ou mais funcionários preencham de 2% a 5% de seus cargos com beneficiários reabilitados ou com pessoas com alguma deficiência.

Apesar dos avanços, algumas empresas costumam contratar os funcionários com deficiência apenas para cumprir a cota, ao invés de levarem em conta as habilidades de cada um. Isso acaba dificultando na inclusão social de qualidade dessas pessoas.

Pensando nisso, O QRtraining decidiu investir em um recurso que visa ajudar pessoas com deficiência auditiva. A plataforma digital é voltada ao gerenciamento de conhecimento industrial.

Permite que, por uma assinatura mensal, empresas possam enviar seus vídeos tutoriais e armazená-los para serem acessados por seus colaboradores a qualquer hora, quer sejam instruções digitais, micro treinamentos no próprio local de trabalho, registro de conhecimento tácito das operações críticas da empresa, tudo com acesso fácil, ágil e com inteligência de organização de conteúdo, através da simples leitura de QR Codes.

Lançada em janeiro deste ano, e com empresas Nacionais e Multinacionais de peso em seu portfólio de clientes, como Abbott, Guerbet, Hypera, entre outros, a plataforma QRtraining, além de operar com tecnologia exclusivamente brasileira, sem similar no mundo, decidiu ir mais além e irá oferecer tradução em libras sem custo adicional aos clientes que precisem disponibilizar esse recurso em seus vídeos tutoriais.

Muitas empresas do setor industrial já se adaptaram às urgências sociais deste novo século e passaram a adotar uma política de contratação mais inclusiva ao abrirem suas portas para pessoas com necessidades especiais de locomoção, visuais e fonoaudiológicas. No entanto, a maior dificuldade ainda é enfrentada por pessoas com deficiência auditiva.

“O QRtraining fez uma parceria com empresa especializada para disponibilizar edição de uma janela de tradução em libras nos vídeos de treinamento às empresas que necessitem desse recurso em seus tutoriais. Nós oferecemos uma franquia de 60 minutos de conteúdo para inclusão de “janela” de tradução sem qualquer custo adicional, independentemente da quantidade de vídeos. Caso o conteúdo exceda essa duração, nós colocaremos a empresa em contato com a prestadora de serviço para que negociem diretamente a um custo diferenciado”, explica Fábio Bussinger, CEO da QRtraining.

Por não conseguirem contratar PNEs capacitadas ou devidamente qualificadas, muitas empresas acabam por empregar pessoas com necessidades especiais menores e as direcionam para funções básicas, como as de limpeza e refeitórios de modo a preencherem a cota obrigatória e, desse modo, não sofrerem multas, o que inviabiliza uma inclusão social de qualidade para este grupo.

“Não basta apenas abrir vagas para deficientes auditivos para promover a inclusão social de grupos com necessidades especiais, é necessário, acima de tudo, democratizar as ferramentas de treinamento e aprendizado de modo que a inclusão se complemente na forma de crescimento profissional igualitário. Oferecer uma janela de tradução de libras nos vídeos de treinamento de nossos clientes, sem custo adicional, é democratizar o acesso ao preparo profissional e incentivar uma inclusão social de qualidade, em que haja reais condições igualitárias de preparo”, destaca Bussinger.

Com seu funcionamento focado primordialmente em linhas de produção, muitos setores de empresas industriais operam de maneira “silenciosa”, onde apenas o recurso visual é requisitado, como é o caso da Gerbet Brasil, multinacional francesa líder mundial na produção de contrastes radiológicos. “A Gerbet Brasil, nossa cliente, possui uma área de produção “silenciosa” para revisão de frasco-ampolas, que requer apenas a visão para ser operada. Por conta disso, ela determinou que só irá contratar pessoas com deficiência auditiva para esse setor, o que irá demandar uma janela de tradução em libras nos vídeos tutoriais para o treinamento desses funcionários”, complementa Bussinger.

Devido à enorme estrutura, com maquinários de grande porte e extensas linhas de produção, empresas do setor industrial chegam a empregar milhares de funcionários em uma única planta. Oferecer esse tipo de recurso é uma maneira de incentivar essas empresas a contratar mais funcionários com esse tipo de necessidade especial.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
As pautas envolvendo as demandas do setor energético de Santa Catarina com o ministro Bento Albuquerque contaram com a participação do presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins. - Foto: Peterson Paul / Secom

Ministro de Minas e Energia sinaliza ao governador Carlos Moisés novo leilão de energia térmica

Next Post
Parceria tem o objetivo de dar suporte aos empreendedores iniciantes e em situação de vulnerabilidade ou que foram afetados pela pandemia

Nuvemshop e Inventivos oferecem 300 bolsas de estudo para empreendedores de baixa renda