Mudança de hábitos requer tempo e paciência

Profissional de educação física Débora Garcia sugere que as pessoas persistam em adquirir bons hábitos para ter momentos de equilíbrio mental, emocional e orgânico

Idealizadora do método “Descomplicando a Meditação” e profissional de educação física com especialização em fisiologia do exercício, Débora Garcia, em seus estudos em bem-estar e inteligência emocional, tem constatado que as pessoas buscam mudar hábitos para ter momentos de equilíbrio mental, emocional e orgânico. “No entanto, encontram dificuldades em deixar de lado os hábitos ruins para adquirir outros melhores”, frisa.

“Hábitos demandam tempo e as pessoas acabam desistindo quando não veem resultados rápidos e significativos”, observa Débora. Para ilustrar sua colocação, cita como exemplo uma pessoa que nunca fez exercícios e de repente começa a treinar todos os dias; começa a treinar todos os dias e como não percebe a transformação desejada no corpo, deixa de praticá-los.

Segundo ela, a liberação de dopamina e a descarga de prazer e bem-estar que a pessoa tem ao fazer algumas coisas podem atrapalhar quando a questão é mudança de hábito. “É só observar que nem sempre você sente um enorme prazer nas primeiras vezes quando vai à academia, ou nas primeiras páginas do livro, ou ainda quando guarda um dinheiro. O que não é de todo negativo, porque senão ninguém mudaria nenhum hábito na vida”.

Débora faz algumas recomendações às pessoas que desejam adquirir bons hábitos e deixar de lado os maus. “Ter estratégia e entender sua realidade atual para definir objetivos”, é a primeira dica. Saber se motivar e conhecer a imagem que se tem de si mesmo é o segundo passo. Por fim, entender o hábito não como um fator externo, mas como parte de uma nova pessoa é um item facilitador em todo o processo, e ter foco: “você quer ser saudável ou fazer dieta”, sublinha.

De acordo com Débora, ao mesmo tempo em que o cérebro busca o prazer imediato também não tem paciência de esperar o atingimento de metas, e quer liberar dopamina e sentir prazer agora e não daqui a três meses. “Você precisa ter mais atenção e energia no sistema, no processo, no “como”, no simples passo a passo”, ensina.

A pessoa pode começar com mudanças pequenas e graduais, quem quer mudar tudo na vida ao mesmo tempo, desde alimentação até a carreira, corre o grande risco de não mudar nada, alerta Débora. “Pessoas que obtêm resultados significativos, seja na área da saúde, do desenvolvimento pessoal, do conhecimento, mudaram um pouco a cada dia; é a velha história de ser 1% melhor diariamente. E, se pensarmos ‘neurofisiologicamente’, as novas sinapses, conexões entre neurônios, são criadas a partir de aprendizados e novas experiências, mas  precisam ser fortalecidas dia a dia”.

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Num país de 6,4 milhões de normas, advogado precisa ter um novo olhar para dar segurança jurídica aos clientes

Next Post

Projeto de lei pode mudar a execução de hipoteca de imóveis. Especialista comenta

Related Posts