Desigualdade é entrave para recuperação econômica da América Latina

Foto: Tania Rego

Estudo da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) indica que os principais desafios para a recuperação econômica dos países destas regiões é a desigualdade, pobreza, pouco investimento e baixa produção.

O relatório foi criado para revelar o impacto econômico e social da pandemia da covid-19 na região. Segundo a secretária executiva da Cepal, Alicia Bárcena, o crescimento econômico nesses países não ocorre de maneira sustentável e o acesso às vacinas é desigual em comparação a nações desenvolvidas.

Para se ter ideia, em 2020 a taxa de extrema pobreza teria atingido 12,5% e a de pobreza 33,7%. Enquanto a insegurança alimentar moderada ou grave atingiu 40,4% da população. Além disso, o estudo projeta que ao final de 2022, 19 dos 33 países não terão recuperado o PIB de 2019.

Outro detalhe que chama a atenção no relatório é que há uma queda na participação das mulheres no mercado de trabalho nessa região, e destaca que apesar de uma recuperação do emprego em 2021, são os homens que estão conquistando a maioria desses postos.

Ainda de acordo com a Cepal, 1,2 milhão de pessoas na América Latina e Caribe morreram em decorrência da Covid-19. O Brasil representa mais de 50% desse número. Segundo o Ministério da Saúde, nesta quinta-feira, as mortes pela doença passaram de 530 mil.

Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Pela primeira vez, estados não registram aumento nas mortes por covid

Next Post

MEC lança proposta curricular para ensino de português para surdos

Related Posts