Salário emocional pode ser fonte de melhores resultados empresariais

Trabalhar em um ambiente que não se gosta pode ser estressante e extremamente prejudicial à saúde. Não são raros os casos de pessoas que desenvolvem algum tipo de problema por não estar confortável no ambiente de trabalho que é frequentado diariamente. Por isso, é interessante para a empresa e para o empregado, que sejam adotadas medidas subjetivas de melhora da qualidade de vida no ambiente de trabalho.

O salário emocional pode ser uma delas, este conceito abrange o conjunto de fatores emocionais e motivacionais que levarão os funcionários a realizarem um bom trabalho e se manterem na empresa. “Cada empresa pode priorizar algumas características e cabe a cada pessoa entender quais pontos de um salário emocional são mais importantes para ela”, explica Débora Garcia, especialista em fisiologia e bem estar.

Debora Garcia

É válido ressaltar que o salário emocional é complementar ao salário econômico, ou seja, um não substitui o outro. “A pessoa não pode ganhar pouco e ter um bom salário emocional. Os dois devem se somar”, conta Garcia. De acordo com ela, há uma tendência geral de que as pessoas não se dedicam a um trabalho se a recompensa for apenas financeira. “É comum ver pessoas em cargos de liderança, por exemplo, que abrem mão daquilo porque não há uma sensação de pertencimento, nem uma visão de desenvolvimento. Logo, faltam outros fatores, isso causa desmotivação”, detalha a especialista.

Existem diversos pontos que podem ser pensados estrategicamente para promover um ambiente de trabalho de qualidade dentro das empresas. “Isso tem a ver com o clima organizacional da empresa,pois, profissionais insatisfeitos vão produzir menos. O salário emocional não é um gasto, é um investimento com um olhar humano, que pode se reverter em benefícios para a empresa”, afirma Débora Garcia.

Os principais fatores são:

  • Autonomia: a possibilidade de administrar os seus projetos
  • Pertencimento: o reconhecimento e a valorização do grupo
  • Criatividade: a possibilidade de novas ideias no ambiente
  • Prazer: ter momentos agradáveis no trabalho
  • Dominar sua função: o orgulho de apresentar um trabalho bem feito
  • Inspiração: momentos que geram novas perspectivas
  • Crescimento pessoal: quando há desenvolvimento humano e individual
  • Crescimento profissional: quando há um caminho para se tornar um profissional melhor
  • Propósito: quando o objetivo do trabalho é bem definido e representa algo importante para o trabalhador
Total
1
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Existe algum tratamento que auxilia na redução das celulites?

Next Post

Câmara de SP investiga acusações de agressão de vereadoras

Related Posts