Tecnologia de vacina de RNA tem acesso expandido pela OMS para cinco países

(Foto: Zoltán Bencze/ Pexels)

O centro sul-africano já está produzindo esse tipo de imunizante em laboratório, mas ainda falta passar por testes clínicos e aprovações.

A OMS expandiu o acesso à tecnologia baseada em RNA mensageiro para fabricar vacinas em Bangladesh, Indonésia, Paquistão, Sérvia e Vietnã para aumentar os centros de produção de imunizantes contra a covid-19. Esses novos países parceiros se beneficiarão da transferência de tecnologia do centro criado pela OMS na África do Sul.

O anúncio é parte de uma estratégia da ONU de multiplicar os locais de produção das vacinas de RNAm, que se mostraram entre as mais eficazes no combate ao coronavírus, e assim, combater com a maior eficácia possível a desigualdade vacinal. De acordo com AFP, a candidatura destes países foi analisada por um grupo de especialistas e foi comprovada que essas nações têm a capacidade para absorver a tecnologia com a ajuda de uma formação orientada.

Quase 62% da população mundial recebeu pelo menos uma injeção da vacina anticovid, todos os tipos combinados. No entanto, apenas 11,3% dos africanos foram totalmente vacinados no início de fevereiro. Até agora, apenas a Pfizer-Biontech e a Moderna desenvolveram vacinas de RNAm. O centro sul-africano já está produzindo esse tipo de imunizante em laboratório, mas ainda falta passar por testes clínicos e aprovações, a menos que a Pfizer-Biontech e a Moderna concordem em compartilhar seus conhecimentos para acelerar o processo.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Entenda como a guerra entre Rússia e Ucrânia pode afetar o Brasil

Next Post

Brasileiros partem de Kiev em trem com destino a cidade próxima da Romênia e da Moldávia

Related Posts