Programação é a nova alfabetização

Imagem de www.shutterstock.com/
Steve Jobs criador da Apple acreditava que ‘’Todo mundo nesse país deveria saber programar um computador, porque isso ensina você a pensar’’. A programação estimula a criatividade e o raciocínio lógico.

O cérebro pode ser comparado a um músculo que pode ser desenvolvido, segundo cientistas da Universidade do Texas desempenhar atividades mentalmente desafiadoras desenvolve a função cognitiva do cérebro, e com maior atividade cerebral doenças degenerativas como demência e Alzheimer tem menor probabilidade de ocorrência.

Aprender programação aumenta a capacidade cognitiva, é a habilidade do cérebro de aplicar as informações que recebe por meio de estudos ou estímulos externos. Consequentemente melhora a atenção e a capacidade de absorver novos conhecimentos e reconhecer padrões, raciocínio lógico que é um dos principais aspectos da inteligência recebendo e processando informações rapidamente, memória, flexibilidade, atenção múltipla tendo o domínio de realizar várias tarefas simultaneamente e a concentração otimizando o tempo de estudo.

Tarefas comuns do cotidiano mudaram após o avanço tecnológico, basta observar a maneira de como pedir comida, chamar um táxi, ouvir música, estudar, trabalhar e a interação nas redes sociais para ter a compreensão da necessidade da implantação de disciplinas relacionadas a tecnologia no currículo escolar.

Em 2013 Barack Obama em seu mandato presidencial incorporou em todas as escolas americanas ciências da computação, ressaltando que não seria apenas importante para os jovens, mas também para o futuro do país. 

“Não compre um novo videogame, desenvolva um. Não baixe o último aplicativo, ajude a projetar. Não use o seu celular, programe! Ninguém nasce cientista de computação, mas com trabalho duro, um pouco de ciência e de matemática, todas as pessoas podem se tornar um. Se você estiver disposto a estudar sobre tecnologia, você será responsável por moldar o próprio futuro.” Barack Obama

De acordo com o MEC (Ministério da Educação) o Brasil tem o objetivo de atingir um nível de aprendizagem mais elevado, segundo a BNCC a programação e robótica fará parte do currículo escolar de escolas particulares e públicas. No Brasil escolas principalmente da região sudeste têm adicionado programação e robótica no currículo escolar de crianças e jovens objetivando a ambientá-las e prepará-las para o mercado de trabalho que tem cada vez mais demanda por esse tipo de mão de obra especializada. Além das escolas que implantaram as disciplinas, cursos de programação e robótica para crianças e jovens de 5 a 17 anos vêm se espalhando pelo país.

Por Angel Melo.

Total
1
Shares
8 comments
  1. Muito interessante utilizar tecnologias para personalizar e direcionar nossas habilidades e estabelecer no nosso cérebro a produção e o ,desenvolvimento de ferramentas para construir futuramente um novo e imaginário sendo nada mais que corajoso e inteligente!
    Meus parabéns !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Comércio do Rio registra queda de 6,5% em fevereiro, indica pesquisa

Next Post

Cai a procura por transporte aéreo

Related Posts