CNI: descarbonizar indústria brasileira pode custar R$ 40 bi até 2050

cni:-descarbonizar-industria-brasileira-pode-custar-r$-40-bi-ate-2050
CNI: descarbonizar indústria brasileira pode custar R$ 40 bi até 2050

Quarenta bilhões de reais são necessários para descarbonizar a indústria brasileira até 2050 e ajudar a combater o aquecimento global. A estimativa foi divulgada nesta segunda-feira (4) pela Confederação Nacional da Indústria na COP 28, a Conferência Mundial do Clima.

O estudo da CNI chegou aos R$ 40 bilhões, mas destacou que o custo para uma economia de baixo carbono pode ser ainda maior. Isso porque nem todo investimento indireto para aumentar a oferta de energia renovável foi considerado, como em portos e estradas. Apesar disso, era preciso ter uma estimativa na mão até para dar os próximos passos na transição.

Foi o que explicou Davi Bomtempo, gerente-executivo de Sustentabilidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A CNI também afirma que a maior parte dos setores pode reduzir as emissões de gases do efeito estufa a médio e longo prazos. Os destaques são para o cimento e da siderurgia que podem evitar a emissão de 500 milhões de toneladas de gás carbônico até 2050.

O estudo também lista medidas para descarbonizar a indústria e ajudar a combater o aquecimento global e as mudanças climáticas. Entre elas, o uso de caldeiras a gás natural na indústria química e do alumínio e a recuperação de calor no caso do cimento e do aço.

Pelo Acordo de Paris, assinado em 2015, o Brasil deve reduzir as emissões em 48% até 2025 e em 53% até 2030. Isso para ajudar, junto com outros 194 países, a limitar o aquecimento global em 1,5 ºC acima dos níveis pré-industriais.

Para a CNI, sem uma política de preço para a emissão de carbono, o Brasil conseguiria atingir as suas metas. Só que com uma política de taxação crescente sobre o carbono, o Brasil atingiria as metas e garantiria ainda saldo zero de emissão em 2050.

E com um mercado de créditos e débitos de carbono haveria ainda crescimento do PIB, da riqueza do país, em 2030 e 2050.

A regulação do mercado de carbono aqui no país está em análise no Congresso Nacional.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
gaza:-presenca-militar-e-bombardeios-atrapalham-saida-de-ambulancias

Israel amplia ataques na Faixa de Gaza após trégua de uma semana

Next Post
destaque-do-pre-sal,-plataforma-p-71-se-aproxima-do-pico-de-producao

Brasil ganha antiprêmio Fóssil do Dia na COP28 por entrar na Opep+

Related Posts