Giovanna Cariry, jovem autista, concorre ao prêmio iBest na categoria Diversidade e Inclusão

O iBest, premiação que celebra os maiores destaques do universo digital no Brasil, está prestes a reconhecer talentos mais uma vez. Entre os concorrentes, a jovem autista Giovanna Cariry está concorrendo a categoria Diversidade e Inclusão. Giovanna cativa os seguidores nas redes sociais com seus delicados trabalhos manuais e sua paixão por artes e filmes. 

Diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista (TEA), Giovanna é  anfitriã no Podcast AutisPapo, onde conduz entrevistas com outros autistas e profissionais atuantes na área. Sua abordagem carinhosa e franca em relação à vida, seu repúdio à violência e injustiça, bem como seu compromisso com a causa da diversidade, estudando sobre preconceito e questões de gênero chamam a atenção dos internautas. “Estou honrada em ser reconhecida pelo iBest na categoria diversidade. É uma oportunidade de dar visibilidade à comunidade autista e mostrar que podemos contribuir de maneira significativa para o mundo digital”, afirma Giovanna.

Além de seu trabalho online, Giovanna é uma defensora fervorosa da natureza e dos animais e embaixadora do projeto RG-TEA, que realiza pesquisas científicas sobre autismo. Sua presença nas redes sociais não apenas encanta, mas também educa e promove uma visão mais inclusiva e consciente da sociedade. “Essa indicação não é apenas sobre mim, mas sobre representar todos os autistas que têm talento e precisam de espaço na mídia. Espero que isso inspire outras pessoas como eu a seguirem seus sonhos e acreditarem no seu potencial”, acrescenta a influenciadora. 

Seu reconhecimento como concorrente na categoria diversidade no iBest é um testemunho não apenas de seu talento artístico, mas também de seu impacto positivo e inspirador na comunidade digital brasileira.

Para votar no prêmio Ibest, acesse o site

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post

Neuroengenharia: A ciência pode dar um “update” no cérebro? Descubra!

Next Post

Portugal reconhece culpa por crimes na era colonial no Brasil. Quem vai pagar a conta? Ela deve ser paga?

Related Posts