Mamoplastia reconstrutora: Como funciona o procedimento que ajuda a restaurar a autoestima de mulheres?

A mamoplastia reconstrutiva é uma cirurgia realizada para reconstruir a mama após a remoção total ou parcial devido a câncer, acidentes ou outras condições que gerem danos às mamas, com incêndios e lesões.

Em geral, são utilizadas técnicas avançadas, buscando restaurar a forma e a aparência natural, o que ajuda na promoção da recuperação física e emocional das pacientes, afirma o cirurgião plástico Dr. Bora Kostic.“A mamoplastia reconstrutiva é um procedimento muito importante para melhorar a autoestima de mulheres que enfrentaram a perda da mama devido a condições médicas. Além de restaurar a forma física, o procedimento também oferece contribui para a reconstrução da autoimagem e confiança dessas mulheres”.Como é feita a mamoplastia reconstrutiva?De acordo com o Dr. Bora Kostic, existem três formas básicas em que a mamoplastia reconstrutora pode ser realizada.“A reconstrução da mama pode ser feita basicamente de três formas, com implantes, usado quando a mastectomia (retirada da mama) não compromete muita quantidade de pele da paciente. Os expansores, por sua vez, são usados para ajudar a expandir o tecido da pele quando a quantidade não é suficiente para o implante direto”.“Outra forma também utilizada é a reconstrução mamária com rotação de retalhos, esse procedimento é realizado quando o cirurgião reconstrói o seio através de músculos, pele e gordura de outras partes do corpo da paciente”, explica. “Após o procedimento é importante que a paciente mantenha repouso de acordo com a orientação médica, evite movimentos bruscos e exercícios físicos intensos durante os primeiros dias após a operação”, ressalta Dr. Bora Kostic.Apoio emocional à pacienteAlém da parte física, o emocional também deve receber a atenção durante uma mamoplastia reconstrutora, ressalta o Dr. Bora Kostic.“Quando a mama da paciente é retirada há, sem dúvidas, um forte impacto emocional, por isso sempre é indicado um processo de apoio emocional antes da reconstrução, nos casos em que ela não é feita simultaneamente à mastectomia, o que garante que a paciente estará realmente bem para o procedimento”, afirma.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post

Estudo indica que alguns fármacos usados para tratar diabetes ajudam a prevenir demência

Next Post

Contrato de “gaveta”: Como esse hábito pode trazer instabilidade jurídica à sua empresa?

Related Posts