Endividamento das famílias segue crescendo

Foto: Marcelo Casal – Agência Brasil

O endividamento das famílias brasileiras aumentou em novembro do último ano, segundo os dados divulgados pelo Banco Central. O levantamento mostra que as dívidas atingiram 51% da renda das famílias nos 12 meses anteriores.

Os números mostram que novembro bateu o recorde, que pertencia ao mês anterior, quando recorde anterior, quando as dívidas comprometeram 49,81% dos ganhos. A série histórica começou em janeiro de 2015. Fazem parte deste levantamento todas as dívidas com bancos, incluindo as de financiamento imobiliário.

Antes da pandemia, esse indicador era de 45,19%. O menor valor registrado foi na primeira vez que ele foi apurado, em janeiro de 2005 (18,42%). A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) elaborou estudo sobre o comportamento do endividamento dos brasileiros em 2020. O levantamento mostra que a média de famílias endividadas no ano passado cresceu 2,8 pontos porcentuais, quando comparado a 2019, alcançando 66,5%. Trata-se do maior resultado anual da série, iniciada em 2010. Apesar de ter alcançado a máxima histórica, a variação do indicador em 2020 foi menor do que a registrada em 2019 (+3,3 pontos porcentuais).

Além disso, o estudo da CNC também apontou crescimento de 1,5 ponto porcentual na proporção de famílias com contas ou dívidas em atraso, alcançando 25,5%. Este indicador chegou a começar 2020 com números melhores do que os de 2019.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Previous Post

Instituição busca pessoas com deficiência para formar banco de talentos

Next Post

Saiba como se prevenir na época mais crítica da epidemia de dengue

Related Posts